HMA | Jornal O Dia
HMA | Jornal O Dia

Henrique Mindlin Associados Arquitetura e Planejamento | Jornal O Dia

press to zoom
HMA | Jornal O Dia
HMA | Jornal O Dia

Henrique Mindlin Associados Arquitetura e Planejamento | Jornal O Dia

press to zoom
HMA | Jornal O Dia
HMA | Jornal O Dia

Henrique Mindlin Associados Arquitetura e Planejamento | Jornal O Dia

press to zoom
HMA | Jornal O Dia
HMA | Jornal O Dia

Henrique Mindlin Associados Arquitetura e Planejamento | Jornal O Dia

press to zoom
1/4

Jornal O Dia

Rio de Janeiro/RJ
1992
 
Projeto construído

EQUIPE ARQUITETURA:

 

Henrique Mindlin Associados S/A
Arquitetura e Planejamento.

 

INFORMAÇÕES TÉCNICAS:

 

Área Total Construída: 7.972m²

Avenida Dom Helder Câmara (Antiga Av. Suburbana), 164 – Benfica, Rio de Janeiro/RJ.

 

A implantação do projeto teve dois condicionantes importantes:

  • Manter a possibilidade de uma futura expansão da instalação industrial, composta de um grupo adicional de impressão, sendo a futura construção feita sem prejuízo para a produção do jornal;

  • Liberar a maior parcela possível do terreno para eventuais utilizações. A configuração básica da edificação é denominada pelo “Ciclo do papel”.

  • Recepção e estocagem;

  • Preparo das bobinas;

  • Impressão do jornal;

  • Transporte para a expedição;

  • Formação de pacotes e distribuição.

A expressão dessas considerações em planta resulta em uma forma aproximada quadrada, tendo uma fachada reservada para a doca da expedição; uma para a entrada de pessoal e visitas, mais o pátio de entrada de bobinas, entrega de insumos e saída de refugo; outra fachada fica reservada para as possíveis futuras expansões; enquanto a última, fazendo frente para a favela, ficará sem aberturas.

A extensão do terreno levou automaticamente ao desenvolvimento de um planejamento horizontal, com os principais fluxos industriais definidos sem maiores complexidades.

O depósito de bobinas na fase inicial tem 1000m², representando uma capacidade nominal de estocagem de 1.620 toneladas de papel, isolado do resto do complexo por paredes corta-fogo. A futura ampliação do depósito será tratada como um compartimento independente, de modo a aumentar a segurança em caso de incêndio.

O salão das rotativas está dimensionado para dois grupos de impressão dispostos em linha única, cada grupo de oito unidades de “Goss Headliner Offset” impressoras mais dobradeira.

As dobradeiras são equipadas com saídas duplas, sendo conectadas ao sistema de transportadores fabricados pela “Star International”.

A expedição tem área livre de 1.240m², mais a doca de 300m², e conta com:

           

Áreas de apoio industrial

Setores administrativos necessários para a operação industrial foram agrupados em um bloco de três pavimentos num canto do conjunto onde não criam interferências com os fluxos de produção do jornal.

 O 1º pavimento (térreo) é reservado para assuntos de departamento pessoal, recepção, ponto, serviço médico, serviço social, vestiários e sanitários para pessoal permanente e contratados.

O 2º pavimento é ocupado pelo restaurante e auditório, servindo também para a recepção e tratamento do visitante. Uma galeria que corre ao longo do salão das rotativas neste nível permite ao visitante assistir o processo de impressão do jornal, incluindo o funcionamento das “Quiet Rooms”, enquanto do outro lado eles terão a visão global da operação da expedição.

O 3º pavimento, de área reduzida em relação à implantação original, é ocupado pelas salas do diretor industrial, gerente industrial e da produção, engenharia e treinamento.

Fortemente denominada pelas considerações da economia e da tecnologia da indústria, a composição volumétrica da edificação reflete com vigor as exigências de cada setor. A variação de alturas resultantes disciplinadas pela clara marcação da estrutura com acentos, ora de ritmo de janela, ora de grandes vidraças, produz uma arquitetura de forte caráter.