Marina da Glória - Projeto de Revitalização

Rio de Janeiro/RJ
2010
 
Concurso Privado

EQUIPE ARQUITETURA:

 

Henrique Mindlin Associados 

Arquitetura e Planejamento Ltda

Premissas que nortearam os estudos do projeto de arquitetura.

  •  Reforçar as atividades de Esporte e Lazer Náuticos.

  • Desenvolver o potencial turístico pouco explorado.

  • Reforçar e melhorar as condições para os eventos temáticos.

  • Criação de áreas para restaurantes e bares de apoio.

  • Implementação de lojas temáticas e especializadas.

  • Aumento das áreas de apoio e garagem de embarcações.

  • Organização de espaços para cursos de vela e navegação.

  • Aumentar a oferta de locais e áreas para exposições e congressos.

  • Facilitar o acesso e integração com os usuários do parque , proporcionando mais permeabilidade entre os jardins e a orla.

  • Criação de estacionamento compatível com o aumento das atividades propostas.

 

Partido Arquitetônico

 

A nova arquitetura proposta , não perde o foco original de se preservar as vistas do entorno, seu maior legado, propondo edificações planas, horizontais e principalmente transparentes, para que a noção de amplitude da área não seja comprometida.

Circulações francas, claras e amplas, resultante da criação de novo  acesso que conduz as diversas atividades como a Marina , o Centro de Convenções , Exposições , Restaurantes e o novo Terminal Turístico.

Grande aumento no número das vagas secas e molhadas , assim como acréscimo das áreas de apoio e movimentação , além da ordenação das atividades náuticas.

Criação de nova área para abrigar a garagem de barcos no lado norte da Marina, possibilitando a liberação de áreas no lado sul, direcionado-as para assuntos mais turísticos como passeios marítimos , escola de vela, escola de mergulho e atividades recreativas.

Incremento na sinergia entre as Lojas Temáticas e o Centro Gastronômico, possibilitando grande afluência de público diversificado.

As edificações seguem modulações estruturais que possibilitam resolver adequadamente os diferentes usos e sobretudo a otimização no uso do grande estacionamento no subsolo, assentado em nível recomendado para evitar-se a utilização de laje de subpressão. O sistema construtivo convencional proposto , possibilita grande economia na realização do empreendimento e durabilidade ao longo do tempo. As prumadas de circulação vertical - elevadores e escadas , foram localizadas nas áreas  próximas aos acessos principais, concentrando o conjunto de sanitários e áreas de apoio. Foram previstos acessos de serviços no subsolo, diretamente ligados com as cozinhas dos restaurantes do Centro Gastronômico , assim como doca de carga e descarga na área do Centro de Convenções e de Exposições.