HMA | Jornal do Brasil
HMA | Jornal do Brasil

Henrique Mindlin Associados Arquitetura e Planejamento | Jornal do Brasil

press to zoom
HMA | Jornal do Brasil
HMA | Jornal do Brasil

Henrique Mindlin Associados Arquitetura e Planejamento | Jornal do Brasil

press to zoom
HMA | Jornal do Brasil
HMA | Jornal do Brasil

Henrique Mindlin Associados Arquitetura e Planejamento | Jornal do Brasil

press to zoom
HMA | Jornal do Brasil
HMA | Jornal do Brasil

Henrique Mindlin Associados Arquitetura e Planejamento | Jornal do Brasil

press to zoom
1/6

Jornal do Brasil

Rio de Janeiro/RJ
1965/66
 
Projeto construído

EQUIPE ARQUITETURA:

 

Henrique Mindlin e Giancarlo Palanti

Arquitetos Associados.

 

INFORMAÇÕES TÉCNICAS:

 

Área Total Construída: 33.000m²

Av. Brasil, 500 - São Cristóvão, Rio de Janeiro/RJ

 

Devido à própria natureza do jornal, o uso do edifício sede é misto, sendo subdividido em dois setores: industrial e administrativo.

 

O terreno é plano e sujeito a recalque, localizando-se o lençol freático a cerca de 1m de profundidade.

 

Foram adotados para o projeto, vãos estruturais de 12m x 6m a fim de concentrar cargas nas fundações e liberar o interior para grandes dimensões rotativas. Estas, por sua vez, têm fundações independentes e total isolamento da estrutura da edificação para evitar transmissão das vibrações.

 

Consequentemente, a estrutura resultante, maciça e imponente  nas suas dimensões, foi enfatizada pelo acabamento em concreto apicoado. A escala assim criada resiste bem à vizinhança de indústria e cais do porto fortemente dominada pelos viadutos e rampas de acesso à ponte Rio-Niterói.

O pavimento térreo, no setor industrial, é dedicado a estocagem, preparação e manuseio de papel em bobinas e sua colocação nas máquinas de impressão. Nesse nível encontra-se, também, o acesso principal e o acesso de caminhões e serviço. O segundo pavimento é o nível de impressão e estereotipia. A expedição localiza-se no quarto pavimento para onde são transportados verticalmente ao sair da rotativa, os jornais impressos e dobrados, caminhando em fluxo contínuo por meio de esteiras transportadoras. Na expedição os jornais são contados, empilhados e amarrados em pacotes para, ao final do processo, caírem através de rampas helicoidais até as docas onde são carregados nos caminhões de distribuição.

Encontra-se no 5°pavimento a Composição e Gravura e Departamento Fotográfico. A área restante do prédio é ocupada pela Redação, Departamentos Comerciais e Administrativos, Diretoria e rádio JB.

Nas fachadas, as esquadrias são de vidro duplo com persianas entre elas, já que a exposição ao sol nascente e poente é total; por essa razão foram recuadas em 1m da face de concreto para receberem sombreamento durante as horas mais quentes. Os volumes brancos construídos em concreto pré-moldado tinham a função original de abrigar unidades self-contained de ar condicionado, refrigerados a ar, cada uma servindo a metade da área de um vão estrutural. Essa solução resultou de um programa inicial que previa usos dos espaços em horários bem diferenciados. Ao final foi adotado um sistema de água gelada, sendo os volumes de fachada aproveitados como armários.

A plataforma para pouso de helicópteros, localizada na cobertura, foi acrescida quando a construção já estava bastante adiantada e, por esta razão, adotou-se uma solução estrutural metálica.

A área total é de 33 mil m². Os pavimentos possuem dimensões de 33,40m x 115m e 33,40m x 106m.